Historia

Fundação 24/06/1920
Os irmãos Ferreira Branco ( Joaquim Branco e Zé Branco) fundadores do Sporting de Benguela zangaram – se e o outro veio fundar outro clube. como naquela altura o Sporting só era para brancos ele fundou o Sport Clube Portugal de Benguela, os Alvi e Negros ( ou seja junção das duas raças ).Antes da independência estás equipas continuaram, e ficaram os dois clubes com maior rivalidade em Benguela. Eram os dois maiores clubes na província de Benguela
Nestas coisas de rivalidade o grande Miau que jogou no Portugal de Benguela e que depois veio a treinar o Sporting de Benguela no dia 05 de outubro de 1974 num jogo entre estás Duas equipas: o Nacional a perder por 1vs 0 empata num golo de livre e o povo vira – se para o Miau e apupa tendo como consequência apanhado um Ataque Cardíaco que não resistiu.

Em 1973 passa a se chamar Nacional de Benguela.. quando surgiu o girabola.

Depois da independência ouve um decreto para eliminar todos os clubes. porque diziam que tinham raizes colônias.
Surge mais tarde por causa da reunião de vários jovens que jogavam na altura decidiram continuar a jogar e criaram algumas equipas como 14 de abril etc. e depois os antigos dirigentes do Nacional juntaram os jogadores do 14 de Abril para formar o Nacional

Falando do palmares: foi 5 vezes campeão distrital: 1952; 59; 60; 61; e 64. Chegando a ser campeão provincial também em 1960 numa final com o Sporting de Luanda, onde ganhou por 1vs 0 na altura os Sousas, os Miau, os Valongos, foi o primeiro clube a chegar a uma final do Girabola em 1979 perdendo com o 1° de Agosto por 2vs 1.

LENDAS DO CLUBE

PEDRO GARCIA

Nascido aos 09 de setembro de 1953 na cidade de Benguela, bairro de Cotel, filho de Armando Duarte Garcia e de Maria Varela, casado com Maria José dos Santos Garcia aos 27 de novembro de 1976. Pai de três filhos: Marinela Vanusa dos Santos Garcia, Edivaldo dos Santos Duarte Garcia e Evanílson Flávio dos Santos Garcia, residente na mesma cidade, na Rua Pedro Nolasco número 2.
Fez o Ensino primário na Missão Católica de Nossa Senhora da Nazaré, tendo dado continuidade aos seus estudos no Seminário Menor de Caála, PUNIV — Benguela, Colégio Bankazi e Instituto Piaget — Benguela, onde frequentou o Curso de Direito.
1968 — Iniciou a carreira desportiva nas Escolas de Futebol do Nacional, na altura Portugal de Benguela, orientado pelo treinador Salvador do Carmo. Passou depois a representar o Sporting de Benguela na categoria de juniores, tendo sido pela primeira vez campeão distrital (atualmente provincial). No ano seguinte regressou ao Portugal de Benguela, tendo sido novamente campeão provincial de juniores.
1971 — Ascendeu equipa dos Seniores do Portugal de Benguela
1973/1974 — Representou o Sporting Clube de Luanda devido ao cumprimento do Serviço militar no Exército Português naquela Província.
1975 — Regressou ao Clube Portugal de Benguela, que após a Independência do nosso Pais passou a denominar-se Clube Nacional de Benguela.
1976 — Fez parte de um Misto que se deslocou a Brazaville, República Popular do Congo, para um jogo de carácter particular.
1977 — Participou na primeira Seleção Provincial (Benguela) como Capitão, tendo defrontado a Seleção de Luanda.
1977/1980 — Durante este período, representou o Clube Desportivo 10 de agosto.
1977 — Sagrou-se pela primeira vez Campeão Nacional, pela equipa do 10 de agosto.
1978 — Representou pela primeira vez o Pais nas competições africanas a nível de Clubes, tendo defrontado na República Unida dos Camarões o Cannon de Yaoundé, para a Taça dos Clubes Campeões Africanos.
1979 — Representou o Clube 10 de Agosto na Tanzânia, para o Apuramento de Clubes as Competições Africanas.
1980 — Tendo regressado a Benguela voltou a representar o Clube Nacional na Tapa dos Clubes Africanos, tendo defrontado o Union de Douala dos Camarões.
1984 — A partir desse ano passou a representar o Clube 1º de Maio de Benguela até ao ano de1986.
1985 — Como Capitão da mesma equipa, sagrou-se Campeão Nacional de Angola, tendo defrontado várias equipas africanas como o ACHANTI KOTOKO DO GANA, SEMASSI SEKO DO TOGO, ATLÉTICO DE MALABO DA GUINÉ EQUATORIAL, entre outras.
1985 — Campeão da 1ª Super Taça de Angola pelo 1º de Maio de Benguela.
1986 — Neste ano finalizou a sua carreira desportiva oficial no 1º de Maio de Benguela, tendo prosseguido apenas a actividade desportiva de recreação, fazendo parte de várias Equipas, Mistos, e Seleções, em jogos locais, nacionais e internacionais (Seleção das Velhas Glorias Portuguesas, Seleção das Velhas Glorias de Angola) no Campo do Boavista em Portugal.

LENDA DO CLUBE NACIONAL DE BENGUELA

#EU SOU NACIONAL DE BENGUELA

JOCOS INTERNACIONAIS PELA SELECCÄO NACIONAL DE ANGOLA COMO CAPITÃO

1977/1986 — Neste período representou a Seleção Nacional de Angola como Capitão, tendo defrontado várias Seleções, quer em jogos oficiais como particulares, tais como: Zâmbia; Tunísia; Congo Brazaville, Congo Democrático, Camarões, S. Tomé, Botswana, Moçambique, Cuba, Nigéria, Gabão, Gana, Senegal, Marrocos, Cabo Verde, Guiné Bissau, Madagáscar, zimbabué, entre outros, totalizando 55 jogos internacionais, (oficiais e particulares) com destaque para:
1977 — Participou no estágio da Seleção Nacional para a Taça das Nações na Bulgária.
1977 — Ainda neste ano, defrontou a República Popular do Congo para a Taça das Nações.
1978 — Participou no Torneio da Amizade Angola/Cuba, como Capitão da Seleção.
1979 – Participou no Torneio Cuba/Angola, em Havana, novembro do mesmo ano-
1980 — Defrontou a Seleção Nacional do Congo em Luanda e posteriormente Brazaville, pera a Taça das Nações.
1981 — Participou na Jugoslávia no estágio da Seleção Nacional para os Jogos da África Central.
1981 — Representou a Seleção Nacional nos Jogos da África Central realizados em Angola — Luanda.
1982 — Representou a Seleção Nacional na Taça das Nações, tendo defrontado a Seleção dos Camarões.
1983 — Participou no apuramento para os Jogos Olímpicos de Los Angeles em Luanda, tendo defrontado a Seleção dos Camarões
1985 — Representou a Seleção Nacional nos Jogos de Apuramento ao Mundial tendo defrontado a Seleção Senegalesa.

TREINADORES

Ao longo da sua carreira desportiva teve como treinadores:
A nível de Clubes

  • Salvador do Carmo;
  • Rogério Peuroteu;
  • Amílcar Silva;
  • Edelfride Palhares da Costa “Miau”;
  • Alexandre Baptista;
  • Du Fialho;
  • Dr. Eduardo dos Santos;
  • Ferreira Pinto;
  • Kasanini (Jugoslavo);
  • Ventcho Zaharei (Búlgaro);
  • Augusto Martins (Português);
  • Nicola;
  • João Machado;
  • Rui Rodrigues (Português).

A nível da seleção nacional

  • Chico Ventura;
  • Cata;
  • Domingos Inguila;
  • Pettar Knezevick (Jugoslavo);
  • Amílcar Silva;
  • Joca Santinho;
  • Ruben Garcia;
  • Storick e Videk (Jugoslavos).

Todas estas personalidades lhe transmitiram ensinamentos e experiências diversas, bem como lições de Vida, que marcaram a sua existência, e contribuíram para nortear a sua conduta, não só como desportista, mas como chefe de família e membro activo da sociedade angolana e principalmente dirigente desportivo.

CARRERA DE TREINADOR E DIRIGENTE DESPORTIVO

1983 — Frequentou um Seminário para Treinadores de Futebol, em Benguela, tendo no mesmo ano assumido a responsabilidade de treinar a Equipa do Nacional de Benguela, ainda como jogador da mesma.
1987 — Frequentou o Curso de Treinadores de Futebol na Escola Superior de Educação Física e Desportos DHFK em Leipzig, na República Democrática Alemã.
1988 — Iniciou a carreira efetiva de treinador, tendo treinado a equipa do Sporting de Benguela e posteriormente os Gaiatos de Benguela na 1ª Divisão Nacional.
1990 — Interrompeu a actividade anterior, passando a desempenhar as funções de Delegado Provincial do Ministério da Juventude e Desportos em Benguela, cargo que desempenhou com zelo e dedicação durante 24 anos, tendo participado em vários Fóruns e Acções de Formação, e outros.

OUTRAS ACÇÕES DE DESTAQUE

1977 — Participou em Luanda na Organização do Torneio de Futebol, alusivo ao 1º Congresso do MPLA.
2000/2008 — Coordenador das Actividades Culturais, Recreativas e Desportivas do Governo Provincial de Benguela.
2007 — Participou na Organização do Campeonato Africano de Basquetebol — Afrobasket, como coordenador.
2008 — Participou na Organização do Campeonato Africano de Andebol – CAN igualmente como coordenador.
2010 – Participou na Organização do Campeonato Africano de Futebol – CAN também como coordenador.

FABRICE ALCEBIADES MAIECO “AKWA”


Comecei a minha carreira com 7 anos de idade nos Caçulinhas da Bola da Ecomil II, onde com 9 anos de idade sagrei-me campeão Provincial de Caçulinhas numa final renhida entre a África Têxtil Vs a Ecomil II com a vitória a sorrir para nós e não podia ser melhor ainda o golo da vitória foi marcado por mim.
Aos 13 anos mudei-me da Ecomil II que era uma espécie de Clube Satélite do Nacional de Benguela já que a Ecomil II era a Patrocinador oficial do Clube Nacional de Benguela. Como na altura não havia campeonato de Juvenil treinava apenas mas não competia.
Os meus primeiros treinadores no Clube foram o Mister Sessé, Mister Sacato e Mister Moyo. Trabalhei nos juniores com o os três treinadores que citei, ganhei 3 campeonatos provinciais de juniores, em 1991 fui Campeão Nacional de Juniores pelo Nacional de Benguela em Malange.
1992 fui Vice Campeão de Júnior, campeonato realizado no Uige, fui o melhor marcador com 8 golos.
Em 1992 fruto do grande campeonato nacional de Juniores que fiz no Uige, fui chamado pela 1ª vez pra Seleção Sub 16 que participou nos 1ºs jogos da CPLP em Lisboa / Portugal que ficou em 3º lugar, em 3 jogos marquei 2 golos. De salientar que eu fui o único jogador vindo de uma equipa da província, já que todos outros jogadores eram das equipas de Luanda.

Embaixador do clube nacional de Benguela


Em 1992 acontece a minha estreia pelos seniores do Nacional de Benguela contra o poderoso ASA, mesmo a jogar pelos juniores, fui convocado pelo Mister Chiby e joguei a titular o jogo inteiro.
93/94 Estreei a marcar pelos seniores no jogo contra o Eka do Dondo no campo de São Filipe onde ganhamos por 3/0, com 2 golos meus e 1 do Chico Barriga.
94/95 as minhas boas exibições levaram-me outra vez a ser convocado pra Seleção Sub 20 onde participei nas eliminatórias pra o CAN de Sub 20. Fizemos 6 jogos que na qual marquei 7 golos.  As minhas boas exibições no clube e na Seleção fez com que clubes grandes da nossa praça se interessasse por mim e mais tarde Clubes Portugueses.

FILOMENA JOSÉ TRINDADE “FILO”


Embaixadora do clube nacional de Benguela ( ORGULHO DE UM CLUBE CENTENÁRIO)

Começou a sua carreira desportiva aos 12 Anos no Nacional de Benguela , onde participou em vários campeonatos Nacionais: Juvenis; Juniores; e Seniores.

Seu 1° Treinador Betinho Amado

2 ° Norberto Baptista.

3° Treinador Beto Ferreira, ( mais tarde em Luanda) foram os principais responsáveis pela carreira Brilhante de Filomena Trindade “Filo”

Participou em 16 Campeonatos Nacionais.

Participou no 1° Torneio Internacional na Itália em 1985.

Participou no seu 1° Campeonato Africano de Juniores na Tunísia onde conquistou a primeira medalha de prata.

Estreou – se na Seleção de Sênior em 1990 no Egipto Cidade do Cairo. ( Haviam duas competições) Onde conquistou as suas primeiras medalhas: uma de Ouro no Campeonatos Africano e outra de Prata no campeonato Pan Africano .

Participou ao longo da sua carreira em 16 campeonatos Nacionais.

9 ( nove ) campeonatos do Mundo.

4 ( quatro ) Jogos olímpicos onde Teve a primeira participação, aos 24 anos em Atenas

Foi Porta Bandeira nos jogos olímpicos de Beijing representando a Palanca Negra Gigante).

Capa de revista no campeonato do mundo na Itália considerada melhor jogadora em campeonatos Africanos pela Seleção

Filo como é carinhosamente chamada pelos filhos do Nacional é um verdadeira campeã.


  • Retirou – se aos 37 anos de idade com o sentimento de dever cumprido pois tinha conquistado tudo.

CONQUISTAS

Ao longo da sua brilhante carreira conquistou:

44 títulos colectivo dos quais
30 pelo Petro Atlético de Luanda
14 ao serviço da Seleção Nacional
Considerada a MVP ( Jogadora Mais Valiosa) em quatro edições do campeonato Africano
Marcou: 473 golos em 442. Jogos pela Seleção.

Depoimentos de fãs