A Premier League decidiu rescindir os direitos de transmissão do Campeonato Inglês na Rússia, após a invasão na Ucrânia, reportaram nesta segunda-feira veículos de comunicação britânicos.

A rede de televisão Sky Sports e o jornal Daily Mail informaram que os advogados da organização receberam aval para iniciar o processo de rescisão com os canais russos e que nos próximos dias haverá um anúncio oficial.

O presidente executivo da Premier League, Richard Masters, já havia anunciado na semana passada que iria revisar esses contratos.

Os direitos de transmissão do Campeonato Inglês na Rússia pertencem a uma sociedade chamada Rambler, filial do banco Sberbank, e os jogos são transmitidos na plataforma de ‘streaming’ Okko.

O valor do contrato, estimado em 7,2 milhões de euros (R$ 40 milhões), representa pouco para as receitas do futebol inglês quanto aos direitos audiovisuais no exterior, que foram de 1,5 bilhão de euros (mais de R$ 8 bilhões) anuais no período de 2019 a 2022.

Por sua vez, o canal de televisão Match TV, que pertence à gigante de energia Gazprom, tem contrato assinado para as próximas seis temporadas.

A Liga de Futebol Inglesa (EFL), que gerencia os direitos da segunda à quarta divisão do Campeonato Inglês, também deve rescindir seus contratos com veículos russos.

No último fim de semana, a Premier League decidiu organizar manifestações em apoio à Ucrânia antes dos jogos da 28ª rodada da competição.

Os capitães dos 20 times usaram braçadeiras com as cores da bandeira ucraniana, houve um minuto de aplausos antes do início das partidas e os telões dos estádios exibiram mensagens em solidariedade ao povo ucraniano.

O post Premier League abre processo para romper contratos de transmissão na Rússia apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.